2013/12/19/396

Data:
19/12/2013
Secretaria:
SERVIÇO FUNERÁRIO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO
Orgão:
GABINETE DO SUPERINTENDENTE
Tipo de Conteúdo:
TRIBUNAL DE CONTAS
Texto:

ATA DA 2.721ª SESSÃO (ESPECIAL)
Aos dezessete dias do mês de dezembro de 2013, às 9h25, no Plenário Conselheiro Paulo Planet Buarque, realizou-se a 2.721ª sessão (especial) do Tribunal de Contas do Município de São Paulo, sob a presidência do Conselheiro Edson Simões, presentes os Conselheiros Roberto Braguim, Vice-Presidente, Eurípedes Sales, Corregedor, Maurício Faria e Domingos Dissei, o Secretário Geral Murilo Magalhães Castro. A Presidência: "Havendo número legal, declaro aberta a sessão. Sob a proteção de Deus, iniciamos os nossos trabalhos. Conforme publicação no Diário Oficial da Cidade de São Paulo, de 13 de dezembro do corrente, esta sessão destina-se à eleição do Presidente, Vice-Presidente e Corregedor, para o exercício de 2014, com fundamento no artigo 153, § 3º, inciso II, combinado com o artigo 25 e alterações, do Regimento Interno desta Corte." Preliminarmente, o Conselheiro Presidente Edson Simões registrou a presença do Vereador Eduardo Tuma e o convidou para compor a mesa principal. A seguir, o Presidente solicitou ao Conselheiro Eurípedes Sales que atuasse como escrutinador. Prosseguindo, o Conselheiro Presidente Edson Simões convocou para a votação de Presidente os Nobres Conselheiros Eurípedes Sales, Roberto Braguim, Maurício Faria e Domingos Dissei. Por último, votou o Presidente. Consoante apurado, o Conselheiro escrutinador anunciou o resultado: quatro votos para o Conselheiro Edson Simões, um voto para o Conselheiro Maurício Faria. O Presidente: "À vista do resultado, e na conformidade do disposto no artigo 13 da Lei Municipal 9.167/80, bem como no artigo 25 do Regimento Interno desta Corte, tendo o eleito atingido o número mínimo de votos exigido pelo § 3º da referida lei, a Presidência declara eleito o Conselheiro Edson Simões Presidente do Tribunal de Contas do Município de São Paulo, para o próximo exercício." Na sequência, a Presidência convocou para votar os Nobres Conselheiros, na mesma ordem anterior, relativamente à eleição do Vice-Presidente. Por último, votou o Presidente. Consoante apurado, o Conselheiro escrutinador anunciou o resultado: três votos para o Conselheiro Roberto Braguim, um voto para o Conselheiro Domingos Dissei e um voto em branco. O Presidente: "À vista do resultado, e na conformidade do disposto no artigo 13 da Lei Municipal 9.167/80, bem como no artigo 25 do Regimento Interno desta Corte, tendo o eleito atingido o número mínimo de votos exigido pelo § 3º da referida lei, a Presidência declara eleito o Conselheiro Roberto Braguim Vice-Presidente do Tribunal de Contas do Município de São Paulo, para o próximo exercício." Continuando, a Presidência convocou para votar os Nobres Conselheiros, na mesma ordem anterior, referente à eleição do Corregedor. Por último, votou o Presidente. Consoante apurado, o Conselheiro escrutinador anunciou o resultado: quatro votos para o Conselheiro Domingos Dissei e um voto em branco. O Presidente: "À vista do resultado, e na conformidade do disposto no artigo 13 da Lei Municipal 9.167/80, bem como no artigo 25 do Regimento Interno desta Corte, tendo o eleito atingido o número mínimo de votos exigido pelo § 3º do referido artigo 13 da Lei Municipal 9.167/80, a Presidência declara eleito o Conselheiro Domingos Dissei Corregedor do Tribunal de Contas do Município de São Paulo, para o próximo exercício. À vista do resultado, e na conformidade do disposto no artigo 13 da Lei Municipal 9.167/80, bem como no artigo 25 do Regimento Interno desta Corte, ficam eleitos para Presidente, Conselheiro Edson Simões; Vice-Presidente, Conselheiro Roberto Braguim; e Corregedor, Conselheiro Domingos Dissei." Após conceder a palavra ao Plenário, por derradeiro, o Conselheiro Presidente Edson Simões manifestou-se como segue: "Este Presidente agradece mais uma vez a confiança dada pela reeleição e todos juntos, unidos, vamos tentar avançar no sentido de plasmar a posição do Tribunal de Contas local e ao nível nacional, como sempre." Nada mais havendo a tratar, às 9h45, a Presidência encerrou a sessão, da qual foi lavrada a presente ata, que vai subscrita por mim, Murilo Magalhães Castro, Secretário Geral, e assinada pelo Presidente e pelos Conselheiros.