2019/01/24/4

Data:
24/01/2019
Secretaria:
TRIBUNAL DE CONTAS
Orgão:
ESCOLA DE CONTAS
Tipo de Conteúdo:
TRIBUNAL DE CONTAS
Texto:

ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO E CONTAS PÚBLICAS CONSELHEIRO EURÍPEDES SALES
COMUNICADO EC 01/2019.

A Escola Superior de Gestão e Contas Públicas Conselheiro Eurípedes Sales COMUNICA a realização da cerimônia de entrega dos certificados de conclusão de curso de Pós-graduação Aperfeiçoamento em “Controle Social das Políticas Públicas”.
No dia 14 de janeiro de 2019 às 19h foi realizada no auditório da Escola de Contas do Município de São Paulo (TCM) a cerimônia de entrega dos certificados de conclusão de curso de Pós-graduação Aperfeiçoamento em “Controle Social das Políticas Públicas”. A mesa foi composta pelo Presidente do TCM, Conselheiro João Antônio da Silva Filho, e pelo coordenador de pós-graduação, Prof. André Galindo da Costa.
Durante a cerimônia o Presidente do TCM e Conselheiro dirigente da Escola de Contas, Conselheiro João Antônio da Silva Filho declarou que: “Preparamos uma escola que pudesse dialogar com o todo social, não pretendemos enxergar uma escola em que o pensamento único impera. Aqui, é um espaço da pluralidade, porque assim é a nossa sociedade”.
Aluna homenageante: Jovelina Ribeiro da Silva e Souza.
Professora homenageada: Profª Me. Antônia Conceição dos Santos.
Professor homenageado: Prof. Daniel Bruno da Silva.
Alunos formandos: Ademilson Moreira dos Santos, Adriana Lacerda Santos, Amanda Usberti Nascimento Porto, Amarílis Brito Costa, Anderson Teodoro Alves, André Zupo, Arnando Thomé da Silva, Barbara Krysttal Motta Almeida Reis, Edinei Arakaki Guskuma, Eduardo Jorge Tavares, Fernanda Modenesi Ribeiro, George Augusto Niaradi, Guilherme Yazaki, Jovelina Ribeiro da Silva e Souza, Lenny Suzette Pereira Quartucci, Lucas Alves da Silva Bonafé, Lucas Costa Souza, Luciano Dias Lourenço, Luiz Guilherme Bender, Maria Izabel Mariano Lucio, Marisa Nogueira Castro, Paula Fernanda de Souza Hajjar, Ricardo Souza e Castro de Oliveira Gomes, Rodrigo Bispo Souza, Tiago da Silva Damião, Ueliton Teles Barbosa, Wagner Seiji Toda.
Aluna oradora: Maria Izabel Mariano Lucio
Discurso da aluna oradora:
Senhoras e senhores, boa noite.
Em nome dos pós-graduandos em Controle Social das Políticas Públicas da Escola Superior de Gestão e Contas Públicas Conselheiro Eurípedes Sales, agradeço a presença de todos. E é, em nome dos alunos, que também agradeço àqueles que, embora não estivessem conosco em sala de aula, nos ajudaram e tornaram nossa permanência um pouco melhor. São eles: a senhora Maria Muniz, carinhosamente a tia do café (daquele cafezinho que todo mundo passava, pegava e tomava acompanhado bolinhos e biscoitinhos), a equipe de limpeza, pois sempre encontramos as salas limpas e prontas para o uso. Ao nosso vigésimo nono aluno, senhor Sebastião Nascimento, o Tião, que sempre esteve conosco nos bons e maus momentos (e episódios tipo assim: “Tião, socorro, tem uma faca? Tem uma colher? Preciso cortar esse bolo”, e ele: “calma, amiga, calma”). Então, sempre esteve conosco.
Aos membros da Guarda Civil Municipal que sempre nos recebiam com cordialidade e, ao fim de cada noite, nos saudavam com um “Boa noite!”. Aliás, hoje não será diferente. Se observarem, nesse nosso ciclo que se encerra, será com um "Boa noite!” mesmo. E é para fechar esse ciclo que estamos aqui. Não se trata apenas de receber os nossos certificados, mas também revivermos alguns momentos e compartilharmos com vocês.
Somos a melhor turma que essa escola já formou. E ouso dizer: irá formar. Não só pelo baixo índice de desistência, somente dois em 30 alunos, ou por sermos a primeira e última turma no curso noturno. Talvez a Escola de Contas reveja esta decisão e perceba a importância de um curso noturno que tanto foi destacado por nós. Talvez ela perceba a própria importância para a sociedade e se adeque em receber novas turmas. Vamos continuar torcendo por isso. E se caso aconteça, quem sabe não formaremos outra turma de um novo curso. O mérito da Escola de Contas está em ter reunido excelentes professores com excepcionais alunos e ter proporcionado, por um período, uma vivência enriquecedora.
Administramos nossas diferenças, formamos um grupo unido e por isso nos tornamos os melhores. Hoje, somente quatro de nós não estão presentes porque já haviam assumido compromissos. Afinal, cada um de nós, quando se matriculou, tinha expectativas e objetivos para o curso. E para que isso acontecesse, abrimos mão de outras coisas e também de um tempo. E tempo era algo valioso, que não se repete, assim como os momentos que vivemos aqui.
Mas cada um de nós não trouxe apenas expectativas, trouxe também sua personalidade e, entre as dinâmicas territoriais e smart cities, fomos revelando nossas personalidades, mesmo os mais reservados como Marisa Nogueira, Rodrigo Bispo e Lucas Bonafé ou tímidos como Thiago e Amanda Porto não passaram despercebidos.
E se temos os reservados, temos os extrovertidos. E aí se apresentam o Ueliton e a Paula, quem vai esquecer as boas risadas que demos com eles?
E se o assunto for sorriso, temos o da Liliana, o da Fernanda e o do Nando, que marcaram. Até o professor Daniel percebeu e comentou. E se falamos no professor Daniel, falamos em desenvolvimento, não sócio-histórico, mas o desenvolvimento de um estado de maturidade, serenidade. Pense cada um em uma pessoa supertranquila, ela tem a potência que desejarem. Não será a metade dele. É algo invejável. Só que não para o Lucas Costa e para o Eduardo Tavares, outros dois colegas supertranquilos. Mas nem tudo foi tranquilidade. Entre nós temos uma guerreira, conhecida por combater a corrupção, não é Barbara Krysttal?
Temos mães também e mães são conhecidas por serem guerreiras, por possuírem um coração enorme e serem generosas, assim é a Jovelina, assim é a nossa gentil professora de turma, as nossas mãezonas.
Tivemos também alguns dissabores? Sim. Mas tivemos os maravilhosos, os magníficos, os saborosos brigadeiros da Lenny. Quem é que vai esquecer? Até a chocólatra mais exigente pira!
Mas, se o assunto for chocolate, temos um ponto marcante nesse período: nosso amigo chocolate. Que foi, sem sombra de dúvidas, um dia marcante, porque nada como uma doce surpresa e um gesto de carinho. Parafraseando Drummond, “eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade que se petrifica e nenhuma força o resgata”. O culpado disso, Ricardo, o nosso garoto Coca-Cola Zero. Mas não temos só um garoto Coca-Cola Zero, temos também um correspondente da Rede Globo, o nosso Malvado Favorito, o Anderson, que gosta de deixar todo mundo com água na boca e passar vontade com suas postagens no grupo.
Não paramos por aí, temos um artista, um mestre em aquarelas, o Ednei. Temos também um político, o Andre Zupo. Talvez ele gostasse de ouvir “temos o nosso novo presidente...”, mas não vamos criar polêmicas. Sabemos que sangue é vermelho e o coração bate do lado esquerdo.
Assim foram os nossos meses, aprendendo a elaboração e a implementação de políticas públicas, controle social, controle externo, dívida pública, nos impressionando com a memória do Fagner, algo incrível. Ele dizia assim: “o autor tal, do livro tal, na página ‘x’ disse o seguinte”, e a classe parava: “nossa daqui a pouco ele vai dizer o ano da edição e a editora”, era uma transcrição literal. Ficamos impressionados.
E lembramos também coisas importantes, que muitas vezes passam despercebidas, mas que fazem diferença, e para as quais os nossos colegas George e Luciano nos chamavam a atenção com suas posturas nos mostraram que a humildade cai bem em qualquer lugar.
E o Gui, o nosso Guilherme, também nos fez ver que simpatia é a alma do negócio e é aquele ingrediente secreto. Com o João e o Luiz Guilherme despertamos para o detalhe que a vida está aí e é para ser vivida, apreciada. Mas o importante é que a gente viva e respeite o direito do outro de viver, e viver com dignidade, não simplesmente manter-se vivo.
Acredito que o que vale na vida são os nossos afetos, aquilo que vivemos e fazemos de graça, por amor ou compaixão. Acredito no sentimento de fraternidade, na generosidade e na importância do outro, mas acredito, sobretudo, no respeito. Creio que este seja um dos grandes segredos para a vida: respeitar o outro e suas escolhas. Respeito não envolve concordância, julgamento ou crítica. Aliás, para mim, as críticas podem não ser construtivas. É preciso refletir se elas são cabíveis e necessárias. Respeito envolve empatia, saber se colocar no lugar do outro e se perguntar: “e se fosse comigo?”. Respeito não se conquista, não se exige, simplesmente se dá. Esse é o meu pensamento, essa é a minha ideia. Sei que ideias demoram um pouquinho, um tempo razoável para conquistar corações e mentes, até se incorporarem efetivamente na vida das pessoas, mas estou certa que o rumo é mais importante que a velocidade.
É hora de encerrar! E quero deixar uma frase de Rubem Alves para vocês: “Um mundo bom não se faz com saber, se faz com bondade”. Aos nossos professores, muito obrigada. A gratidão que sentimos não possui palavras para traduzi-la. Somos eternamente gratos ao senhor presidente, colegas, foi um privilégio, um momento único. Muito obrigada!